Salvador

Pronatec Prisional entrega certificados aos primeiros concluintes do programa

Escrito por Secom em 17 de Dezembro de 2018
[Pronatec Prisional entrega certificados aos primeiros concluintes do programa]

 Egressos do sistema penal se formam em cursos técnicos. Foto: Elói Corrêa/GOVBA

Alunos das duas primeiras turmas do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), formada por egressos do sistema prisional – pessoas em privação de liberdade e pessoas em cumprimento de penas alternativas –, receberam seus certificados de conclusão de curso na manhã desta segunda-feira (17), durante solenidade no auditório da Secretaria de Educação, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

Um total de 17 concluintes recebeu os certificados dos cursos de Agente de Limpeza e de Eletricista Instalador Predial de Baixa Tensão. A ação é uma parceria entre do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), com o Ministério da Educação.

“Em Barreiras, já tem a perspectiva de contratar internos que estão fazendo o curso de pedreiro e auxiliar de pedreiro para trabalharem na empresa que vai ampliar o presídio. Na parte externa, já tem um grupo que trabalha com hortifruti e vai fazer uma cooperativa. Em Lauro de Freitas, a padaria que funciona dentro do presídio vai contratar duas pessoas privadas de liberdade. A expectativa sempre é grande. O Estado tem programas de acolhimento dessas pessoas e nós esperamos que elas sejam contempladas”, afirmou o coordenador do Pronatec Prisional, José Antônio Matos.

Outras 23 turmas estão em formação em 19 municípios onde há unidades prisionais, como Salvador, Lauro de Freitas, Feira de Santana, Paulo Afonso e Barreiras. Também são oferecidos cursos de padeiro, pizzaiolo, montador e reparador de computadores, entre outras opções, tanto nos presídios, quanto nos Centros Estaduais de Educação Profissional.

“A reinserção social através da educação é muito importante, vai representar um diferencial para essas pessoas que muitas vezes sofrem com o preconceito e com a discriminação”, declarou o superintendente da Educação Profissional e Tecnológica, Durval Libânio.

Segunda chance

Atualmente em regime semiaberto, Ronaldo Lisboa recebeu o certificado do curso de Agente de Limpeza e comemorou mais uma possibilidade em seu processo de ressocialização. “O plano de vida é trabalhar, levar o alimento para casa e poder chegar no mercado de trabalho e mostrar que eu mudei. Eu estou mostrando minha cara porque eu mudei realmente e dá para mudar. Para vocês que acham que não, todos nós erramos e temos uma segunda chance. Querendo, muda”, afirmou Ronaldo, que já está inscrito no curso de eletricista.

Professor do curso de Agente de Limpeza, Antônio Sacramento descreve o perfil dos alunos do curso e incentiva a contratação dos egressos “É muito gratificante, sobretudo porque estamos lidando com uma população que quer vencer, resgatando a autoestima. Eles estão muito confiantes e capacitados para encarar o mercado de trabalho, pois estão levando muita informação técnica. Normalmente, uma empresa teria que investir para ter um profissional nesse nível que a gente está colocando no mercado”, explicou o professor.

Compartilhe!